Os dias 6, 7 e 8 de agosto foram de muito trabalho para a equipe do Complexo Regulador Estadual (CRE). Neste período, foram treinados 62 pessoas, contando com a presença dos 18 secretários municipais de saúde de toda a região da Estrada de Ferro. O treinamento foi realizado na Biblioteca Municipal de Catalão. Agora, os municípios contam com a regulação intermediada pelo órgão estadual já a partir desta segunda-feira, 12 de agosto.

“É uma vitória principalmente para o SAMU. Com o Estado de Goiás assumindo para si o papel da regulação nestes municípios, nós damos ao SAMU o direito de atuar naquilo que de fato é responsabilidade dele, transporte de pacientes de urgência e emergência”, explicou Genésio Pereira dos Santos, diretor técnico do CRE. O SAMU, desde 2006, fazia o papel de regulação atendendo e buscando as solicitações de vaga por telefone.

Transparência na Estrada de Ferro

A responsável pelo treinamento, Leydiane Queiroz, Gerente Operacional do CRE, comemorou a receptividade dos gestores e técnicos da região Estrada de Ferro. “Foi uma receptividade perfeita. Os técnicos ficam muito satisfeitos com a possibilidade de transparência do SERVIR. Tinham vários municípios que não possuíam nenhum sistema de regulação, faziam a solicitação de vagas por telefone e tinham de esperar o retorno. Agora, cada um vai poder acompanhar o tempo e a hora de cada pedido”, resumiu.

O SERVIR – Sistema Estadual de Vagas Integradas à Rede foi desenvolvido especialmente para o uso do CRE. Trata-se do mesmo sistema que já possui como histórico uma atuação de mais de 12 anos na administração da Regulação de Acesso do estado de São Paulo. Com o SERVIR, o CRE garante diferenciais como ganho no tempo de resposta, quantidade de leitos regulados, transparência e garantia de equidade.

O secretário municipal de saúde de Ipameri, Fauze Junior, não esconde as expectativas. “Nós esperamos que o novo sistema traga realmente a tão almejada transparência nesse processo de regulação. Ele vai permitir cada um de nós acompanhar as solicitações de transferência dos pacientes da urgência e emergência”, revelou.

Já Frederyco Lisboa Lobo, Técnico da Secretaria de Saúde de Ouvidor, afirma que a transparência é um diferencial fundamental para a saúde de municípios pequenos. “Muitas vezes estas cidades ficam a mercê dos grandes municípios. Pois eles concentram a questão das maiores vagas de regulação. Então, como município vai ser um grande ganho”, disse.

Próximos treinamentos

Nos dias 20 e 21 de agosto, será a vez do CRE trabalhar na implementação do SERVIR para os 17 municípios da região do Rio Vermelho. O treinamento será ministrado na Cidade de Goiás. Essa será a quarta região do Estado a contar com a atuação do CRE em sua integralidade. Além da Estrada do Ferro, as regiões Sudoeste 1 e 2 que totalizam 28 municípios também contam com a atuação do CRE em parceria com a Central de Regulação de Rio Verde.

Para ampliar a presença do CRE para outros municípios, é necessário um pedido formal junto à SES/GO pelos gestores de saúde municipais. “Precisa de adesão dentro do município. Muitos secretários ficam inicialmente receosos com a mudança, mas isso vem mudando conforme percebem os ganhos nas regiões onde já implementamos o serviço do CRE. Percebemos um grande interesse dos secretários de saúde porque com o Complexo Regulador Estadual eles profissionalizam a regulação dos municípios”, resumiu Genésio.

Ouça o relato dos secretários municipais:

Ajustar fonte