Desde a última semana, na região de saúde do Entorno Sul, o Complexo Regulador Estadual (CRE), órgão da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) assumiu a gestão das vagas de leitos de urgência e emergência. A região conta com sete municípios, abrigando mais de 800 mil usuários da rede pública.

Os treinamentos foram realizados entre os dias 19 e 22 de novembro, em quatro cidades da região, Águas Lindas de Goiás, Santo Antônio do Descoberto, Cristalina e Luziânia. Nesta última, também participaram da capacitação os representantes das Secretarias Municipais de Saúde de Novo Gama, Cidade Ocidental e Valparaíso. No total, 96 pessoas foram capacitadas para utilizar o SERVIR – Sistema Estadual de Vagas Integradas à Rede, uma plataforma desenvolvida especialmente para o uso do CRE.

Segundo Amanda Almeida, assistente administrativa do CRE e uma das responsáveis pelo treinamento no Entorno Sul, os gestores aprenderam, principalmente, como abrir e acompanhar a ficha de pacientes. “Eles farão o acompanhamento, se o paciente foi inserido na Central de Goiânia, se o SAMU ou o médico regulador fez atualizações na ficha ‘em adendo’”, explicou.

O Sistema no Entorno Sul

O SERVIR é o mesmo sistema que já possui como histórico uma atuação de mais de 12 anos na administração da Regulação de Acesso do estado de São Paulo. Com o SERVIR, o CRE garante diferenciais como ganho no tempo de resposta, quantidade de leitos regulados, transparência e garantia de equidade.

Para Amanda, a receptividade entre os que participaram foi muito boa. “Muitos elogiaram! A principal palavra que usam é ‘transparência’. Porque, realmente, o sistema é bem transparente. Dá para o gestor acompanhar a solicitação de um paciente em tempo real. Antes era necessário solicitar ao SAMU para que eles inserissem o pedido na Central de Goiânia. Agora, liberamos o SAMU para fazer o seu papel que é o transporte de passageiros”, disse.

Cobertura do CRE

Além do Entorno Sul, o CRE também já atua nas regiões Estrada de Ferro, Rio Vermelho, Sudoeste 1 e 2. Para ampliar a presença do CRE para outros municípios, é necessário um pedido formal junto à SES-GO pelos gestores de saúde municipais.

Ajustar fonte