O Complexo Regulador do Estado de Goiás, o CRE, atuou em mais uma repatriação na tarde de quinta-feira, 26 de setembro. Repatriação ocorre quando é necessário trazer um paciente de outro estado para o seu estado de origem. Desta vez, a paciente transferida é uma cidadã goiana que estava internada em um Hospital particular em Pato de Minas, no estado de Minas Gerais.

“O paciente encontrava-se em UTI particular e, sem condições de pagar mais por ela, solicitou o socorro do Estado de Goiás. O Complexo Regulador, prontamente, atendeu o pedido e, nesse sentido, fez de tudo para trazer a paciente com conforto e segurança”, relatou Genésio Pereira do Santos, diretor técnico do Complexo Regulador.

Dificuldade da repatriação

O CRE buscou primeiro apoio da Regional de Goiânia, no entanto, não havia leitos de UTI disponíveis na cidade. A paciente foi regulada para uma vaga na cidade de Nerópolis, no Hospital Sagrado Coração de Jesus. Esta Unidade conta com 50 leitos regulados pelo estado e sob responsabilidade do Complexo Regulador Estadual.

A paciente pousou pousou às 13h no aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, e foi transportada pelo SAMU para Nerópolis. “Isso só foi possível graças ao trabalho em conjunto do Corpo de Bombeiros, com o aeromédico e o CRE intermediando o transbordo da paciente, tanto do hospital de Patos de Minas para o aeroporto da cidade mineira, como também do aeroporto de Goiânia para o Hospital da Cidade de Nerópolis”, resumiu Genésio.

Ajustar fonte